Afterschooling, Família

Afterschooling: por onde começar?

Acompanhar uma criança durante toda a sua fase de desenvolvimento não é tarefa fácil, pequena, sem importância. A responsabilidade que se tem ao trazer alguém para este mundo é muito grande, tanto em termos de “que filhos deixaremos para este mundo”, quanto ” para onde estamos encaminhando estes filhos ao pensarmos em termos transcendentes”. Ao meu ver, uma coisa está ligada à outra.

Ter essas preocupações nos leva a compreender, ou ir compreendendo, que devemos FAZER algumas coisas. De maneira concreta. Muitas famílias encontraram as possibilidades e o desejo de abraçarem a educação de seus filhos de forma intensa e integral através do homeschooling. Outras não possuem as possibilidades (ou não desejam praticar), mas são tão preocupadas quanto e se empenham com toda a sua alma no desenvolvimento dos filhos.

Como ex-professora e ex-coordenadora, o que eu tenho a dizer às famílias que desejam acompanhar os filhos da melhor forma e que escolheram a escola como parceira nessa caminhada é de não subestimarem a importância de sua presença como pais nos estudos dos filhos e nem com a qualidade do ambiente de vivência que proporcionam a eles. De praxe, os melhores estudantes, as melhores notas nas escolas que trabalhei eram de crianças vindas de famílias que, por mais simples que fossem tinham pais presentes. Esses pais não faltavam uma reunião. Acompanhavam seus filhos até a porta da escola, verificavam tarefas de casa e procuravam estar perto quando suas crianças estavam estudando. Tentavam estabelecer um horário de estudos, mantinham limites claros para suas crianças. Procuravam viver em família.

A presença da família, dos pais na vida das crianças, do amor que elas podem presenciar entre seus pais é algo que lhes dá sustentação. Quando os pais, assumem que são a base do crescimento dos filhos e, de maneira intencional, procuram proporcionar o ambiente propício para o desenvolvimento, maravilhas acontecem! Isso significa que, algumas muitas vezes, sacrifícios serão necessários. E assim é a vida!

Algumas pessoas me perguntam: “Cibele, não tenho condições de praticar a educação domiciliar. O que posso fazer em casa com meus filhos, que acrescente ao que a escola faz?”. Bom, talvez este início de resposta não seja exatamente o que esperam, mas nem por isso deixa de ser real. A primeira coisa que pais interessados no desenvolvimento de seus filhos devem fazer é tratar do ambiente familiar como a empresa mais importante de suas vidas. Seu amor, fruto da sua vontade e não apenas de seus sentimentos, deve ser cultivado. O lar alegre, luminoso, deve ser a sua busca constante, mesmo em meio às dificuldades da vida.

Dificilmente uma criança irá bem na escola se dentro de sua casa viver um clima de tensão, mágoas ou de indiferença. Obviamente que estas linhas não servem apenas para famílias escolarizadas…

Tenho consciência de que o que escrevo pode representar um desafio para muitos. A paz na família é algo a ser constantemente buscado e cuidado por todos e nem sempre é fácil. Mas eu digo, sem dúvida alguma que, se você deseja cuidar do desenvolvimento integral de seus filhos, inclusive do que reflete nos estudos, inicie pensando em como pode fazer para que o ambiente da sua casa, entre você e seu cônjuge, entre você e seus filhos pode melhorar. Deseje ardentemente ter um lar luminoso, profundamente alegre. Ponha os meios. O primeiro passo para um afterschooling estará dado, com a consciência de que, nesta caminhada, passaremos por altos e baixos, mas que o importante é continuar caminhando com os objetivos muito claros.

Para quem já pratica o afterschooling aqui estão algumas dicas para tarefas de casa: AQUI!!

Cibele Scandelari

Anúncios

2 comentários em “Afterschooling: por onde começar?”

  1. De que forna posso colaborar com as atividades da escola de criança de 2 anos – maternal 2. Acho que posso solicitar à professora um resumo das atividades realizadas em sala para que eu as complemente e /ou dê continuidade em casa? Acha interessante? Proveitoso? Ou exagero, por se tratar de criança muito nova, seria melhor não ter tanta atividade dirigida? Tem alguma dica de afterschooling nessa fase?
    Muito obrigada!

    Curtir

    1. Olá Roberta!
      Com essa idade, o ideal é focar em ter um ambiente linguisticamente rico, muitas leituras em voz alta, audição de música de qualidade, ter cuidado com os 4 hábitos básicos e dar oportunidade para que desenvolva a parte motora muito bem. Aproveite e role no chão junto! Brinquem de cabana. Deixe correr. Cuide com coisas perigosas, mas permita que rale um joelho. Aos poucos dê oportunidade para que desenvolva sua autonomia. Crianças autônomas são seguras e muito felizes!
      Solicitar um resumo pode ser interessante para que vc possa estabelecer, aos poucos, um diálogo com seu filho. Talvez você perceba que ele deseja continuar com as experiências e aí pode ser legal alguma atividade, mas não de forma inteiramente esquematizada.
      Um abraço!!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s