Família, Maternidade

Qual a importância das memórias de infância?

Gostaria de aproveitar o clima de fim de ano e falar um pouco sobre nossas memórias. Aquelas delícias que guardamos em algum cantinho da nossa mente e que são despertadas por algum aroma especial, alguma brincadeira, uma brisa leve de verão, uma risada gostosa. Essas memórias marcam tanto dias comuns quantos situações mais específicas como um aniversário, Natal ou outra data especial.

Sim, todos temos memórias ruins, tristes também. Mas hoje gostaria de focar nas memórias mais doces, as mais vibrantes, aquelas que aquecem nosso coração e nos fazem mais humanos. Gostaria de falar sobre a importância de nos esforçarmos em dar oportunidades para que nossos filhos colecionem essas memórias.

Por quê isso seria importante? Porque nossas memórias contam nossa história. Nos ajudam a entendermos quem somos e motivos de sermos como somos. As memórias nos ajudam a definir nossas escolhas. Sem a memória, como diz o professor doutor da Universidad de La Sabana, Alvaro Sierra Londoño, “a atuação humana seria uma simples somatória de feitos sem conexão e a pessoa experimentaria um desenraizamento total ao ser incapaz de recordar seu passado para relacioná-lo com sua situação atual e a futura” ( Educación de la Afectividad)

As memórias que temos não determinam quem somos ou seremos. Elas nos ajudam a escolher as referências que queremos dar à nossa vida.

Nossas memórias de infância imprimem em nós o afeto que nos circundava, a atmosfera com a qual crescemos e nos tornamos adultos, com todas as vicissitudes que isso possa significar. As aventuras e desventuras que vivemos na infância ajudam a construir quem somos. Isso é extremamente importante. As coisas que vivemos nos afetam, passam por nós e deixam suas marcas. Essas marcas fazem parte da maneira como reagimos ao mundo, às coisas, às pessoas, aos acontecimentos. 

Como pais é nosso dever zelar para que nossos filhos tenham a vivência de uma realidade cercada de afeto. Uma atmosfera que exale carinho e firmeza na medida certa a imprimir em suas almas a alegria e a segurança necessárias para poder crescer e, um dia fazer escolhas suas. Esse dever envolve sacrificar nosso comodismo e ir atrás daquilo que pode semear essas lembranças. Proporcionar a atmosfera de deliciosas memórias de infância, nem sempre será difícil, nem sempre será óbvio, mas sempre irá depender da nossa doação, entrega, melhora pessoal.

Mas então…agora que sabemos, um pouco, da importância das memórias afetivas de infância, de qual maneira podemos criar terreno para elas? Ah…isso são linhas para o próximo capítulo… 😉

Cibele

 

*Se você gostou do texto, ajude a divulgar! Curta a postagem dentro do blog e fora dele! Compartilhe!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s