5-10 Anos, Áreas do Conhecimento, Homeschooling

Dicas para o desenvolvimento do gosto pela leitura

O hábito da leitura, a ansiedade dos pais e a constância

No começo de nossa jornada pelo universo do homeschooling, quando assumi a educação das minhas filhas e, com isso, a alfabetização, cheguei a achar que seria muito difícil conseguir fazer com que o gosto pela leitura brotasse e florescesse. Isso porque, em muitos momentos do processo de alfabetização, muitas crianças apresentam fases mais difíceis, desinteresse ou são acometidas por uma preguiça quase palpável. Não foi diferente por aqui. Parecia, em certos momentos, que não queriam chegar perto de nada que exibisse letras. Conto um pouco sobre a alfabetização das minhas filhas nestes artigos: “Como alfabetizo”, “Como alfabetizo- parte 2“, “O cuidado no olhar alfabetizador”. 

Talvez fosse ansiedade minha, mas eu queria vê-las logo andando pra cima e pra baixo com seus livros, que viessem me contar as aventuras que aquelas páginas continham… que quando eu chamasse para o jantar, fosse difícil largar a história.  Sempre gostei de ler e minha infância e adolescência foi assim. Levava o livro para a pracinha, para o parque, para a praia. O livro “O menino do dedo verde” li em um dia. Bom…queria isso para minhas filhas e a angústia diante da possibilidade delas não gostarem me afligia. Não só por ser algo que gosto, mas sim, e esse é o motivo mais importante, pelo fato de ser difícil conseguir crescer intelectual, humana e moralmente  sem desenvolver o hábito da leitura.

O hábito da leitura, da leitura de bons livros, diga-se de passagem,  alimenta o imaginário, cultiva a criatividade. Eu não queria, de modo algum que minhas filhas não o desenvolvessem. Você também se sente assim? Está se esforçando para alfabetizar seus pimpolhos, tem algum que já sabe ler, mas parece que “a coisa não engata”? Tudo e qualquer coisa são mais interessantes que um livro? Você não está só. No entanto, digo com muita felicidade, que isso não é algo imutável. Na verdade, para muitas crianças faz parte do processo e isso por diferentes motivos.  Já faz alguns dias que minhas filhas estão sentando, por livre e espontânea vontade para ler. Cada uma (as duas mais velhas, sendo imitadas pela de 3 anos) escolhem o livro para sua faixa etária e sentam em algum canto da casa. Algumas vezes demoram um pouco mais, outras vezes menos. No entanto: estão lendo! E gostando!

 

Para quem está passando pela ansiedade, o que posso dizer, após ter sobrevivido aos meus próprios medos de fracasso, é o seguinte: a ansiedade é algo normal. Ela vem muito porque estamos nos aventurando a fazer algo que poucos pais fazem que é assumir a integralidade da educação dos filhos. Porém, é necessário ter as rédeas curtas para essa visita desagradável. Não alimente sua ansiedade imaginando o terrível futuro de fracasso. Isso só atrapalha e te tira o foco. A ansiedade, a imaginação nesse sentido é a louca da casa. Não dê trela pra louca.

A segunda coisa é que o processo de alfabetização e o desenvolvimento do hábito de leitura dependem de uma virtude. A virtude da constância. O hábito é algo que se faz sempre, que passou a ser natural, parte do viver da pessoa. Sendo assim, é importante que a criança esteja habituada a ver seus pais lendo, a participar de momentos de leitura em voz alta onde seu papel é a de ouvinte, a ser convidada a recontar o que ouviu, a desenhar, ilustrar as aventuras a ela contadas e, finalmente  ser convidada a ler para os outros e em silêncio para si mesma.

 

Para facilitar que tais coisas aconteçam, restrinja o tempo de televisão e demais eletrônicos ao máximo, cultive, se esforce pelo tempo de leitura em família, onde cada um lê algo para si, invista na compra ou empréstimos de bons títulos e mesmo que a criança já saiba ler, leia para ela. Capriche na entonação, dê vida às personagens, faça da leitura um momento agradável. Leia em lugares diferentes, como dentro de uma cabana, embaixo de uma árvore na praça perto de casa, em frente de uma mesa cuidadosamente arrumada para o momento da leitura junto a uns bolinhos e suco fresco. Finalize a leitura em um ponto instigante da história, que faça com que as crianças PEÇAM para que você continue. Converse, em outros momentos sobre o que você mais gostou da história e pergunte a opinião das crianças. Isso trabalhará a memória e incentivará a atenção. Escolha suas estratégias e seja constante. Não espere desenvolver um hábito através da prática anual ou bimestral da mesma. No way.

Mães! Seu filhos ou filhas que acabaram de aprender a ler ainda se encontram no processo de alfabetização. Acalmem seus corações. Gostar de ler, para algumas crianças, pode levar um tempo.  Nesse tempo não façam do livro um castigo. Se seu filho fez algo errado, não castigue-o mandando ler! Ler deve ser deleite para a alma! Alimento para a imaginação!

Permaneçam constantes nas atividades de alfabetização e nos momentos de leitura que logo vocês irão procurar seu filho pela casa e terão a surpresa de encontrá-lo imerso na história fantástica de algum bom livro. Vão por mim!

Um abraço!!

Cibele Scandelari

 

2 comentários em “Dicas para o desenvolvimento do gosto pela leitura”

  1. excelente! Também vivo nessa ansiedade ! Mas faço leitura em voz alta todos os dias, sempre estou próximo dela com algum livro, mesmo que ela esteja fazendo uma outra atividade como assistir tv!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s