FAQ, Homeschooling, Planejamentos

Como lidar com a frustração de não conseguir fazer todo o planejado?

Ao longo da vida é normal que façamos muitos planos. Pelo menos é assim que vivo e é assim que vejo as outras pessoas.  É natural do ser humano planejar, sonhar com os dias que virão, pensar no seu futuro e tentar prever um caminho,uns passos que o levem aonde deseja.  Para alguns isso é feito de forma bem consciente, metódica e/ou balizada por alguns critérios morais, alguns objetivos profundos. Outras pessoas vivem esse plano de maneira mais solta e/ou com menos profundidade. No entanto todos nós, em algum nível, planejamos nossa vida.

No entanto, mesmo que tenhamos a paciência e empenho de planejar tudo com muitos detalhes e com muita organização, existe algo que nos escapa. Não temos controle de todos os fatores que influenciam nosso viver. Isso é intrínseco à vida. Simplesmente é o que é. Não controlamos o clima, a saúde,  o humor de quem nos rodeia, muitas vezes nem o nosso próprio humor…numa clara demonstração de imaturidade. E por falar em maturidade, faz parte do amadurecimento de cada um, aprender a enfrentar a realidade de que não é sempre que  conseguimos controlar com paz e naturalidade os percalços que nossa caminhada vai nos apresentando. Encarar, inclusive a própria sensação de frustração como algo normal, real e não alimentá-la faz parte do amadurecimento.

Quando pais homeschoolers (ou não) planejam é claro que querem, e é natural que seja assim,que aquele planejamento seja implementado na íntegra. É isso que seu coração almeja. Porém, como dito anteriormente, simplesmente não é possível dominarmos todas as variáveis que influenciam a realidade da qual fazemos parte. Um dia de estudos pode ir inteiro por água abaixo por causa de uma gripe. Ou então, o planejamento pode ficar pela metade, pois no meio do caminho muitas dúvidas e dificuldades surgiram e não seria adequado acelerar para cumprir com o plano. Algumas vezes o plano é furado porque o entregador de água veio justamente na hora do pico de concentração daquele filho, que apesar de aprender, não está demonstrando e quebra a linha de raciocínio do garoto. (Não achem que isso não acontece na escola…acontece sim…).

O primeiro passo para aprendera lidar com a sensação de frustração que essas situações nos fazem sentir é buscar amadurecer. É limitar a área de impacto dessa sensação provoca e o tempo que isso leva de maneira reacional. É compreender que isso FAZ PARTE DA VIDA. Em algumas etapas desse viver talvez existam mais fatores que contribuam para interromper o andamento do plano (filhos pequenos, doença, mudança, etc). Ainda sim, é necessário compreender que isso é normal. Reconhecer a realidade, fazer os ajustes que a situação permite para tentar evitar os tropeços e aceitar que o caminhar encontrará certos obstáculos, ajustando a caminhada a eles, faz parte do processo de amadurecimento.

Ao se ver imerso(a) na sensação de frustração é importante sentí-la, reconhecê-la racionalmente, nomeá-la (dar nome aos sentimentos é um exercício muito bom, tanto para crianças como para adultos) e não alimentá-la. Temos certa tendência a termos pena de nós mesmos…isso não nos leva a lugar algum.  Após administrada e vivida a sensação, devemos tocar o barco e ajustar as velas. O plano de estudo de seus filhos saiu dos conformes? Reveja os objetivos, reorganize as tarefas. Professoras de escola fazem isso. Não seria diferente com famílias homeschoolers.

É  importante que, ao planejar, quem planeja leve em consideração a existência dos contratempos. Não elabore um plano tão magnificamente elaborado que seja tão justo a ponto de não permitir nenhuma flexibilidade. Isso seria uma boa receita para se frustrar e não seria um plano bom…plano bom é aquele que procura contemplar a realidade e não a situação utópica da terra da imaginação das nossas viagens delirantes.

Sendo assim segue um resuminho: quando estiver SENTINDO a frustração, permita-se sentí-la sem aumentá-la e sem alongar a vivência da mesma. Analise os fatores que tiraram seu plano do eixo e tente usar essas informações para ajustá-lo.   Encare a situação que fez seu plano não dar certo  como forma de adquirir experiência. Esta só se adquire vivendo. É caindo que aprendemos a andar.

Se você está no início da caminhada da educação domiciliar tenha em mente: você viverá SIM situações que não sairão como o esperado tanto agora no começo como mais adiante. Talvez você aprenda alguns macetes de organização, mas mesmo assim nem tudo sai como queremos. A parte boa desses episódios de contrariedades é que vamos aprendendo a sermos mais resilientes e certos sentimentos passam a ocupar apenas o tempo e energia que deixarmos e nada mais, servindo de combustível para nossa caminhada.

 

Cibele Scandelari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s