Família, Maternidade, Virtudes

Educar de maneira positiva – Parte 1

Já ouvi algumas vezes que, algumas crianças antes de aprenderem qualquer outra palavra, acabam, para tortura das mães, a pronunciar em alto e bom tom o “não”. Outras, se não o pronunciam mostram de maneira taxativa sua negativa, balançando firmemente a cabeça. Não há nada de ‘errado’ nisso, no fato da criança aprender o significado do não, mas mostra como estamos imersos numa realidade onde virou costume mostrar para a criança a vida através das coisas que ela ‘não’ pode fazer.

“Não pegue na comida!”, “Não, amasse o papel!”, “Não deixe isso cair!”, “Não desenhe aí!”

Convenhamos. Que chatice. Ainda mais os nossos filhos que estão conosco, pais e mães homeschoolers, 24 horas por dia.  Nestes primeiros anos de descobertas para os pequenos, nós adultos, passamos boa parte do tempo mostrando para eles uma vida de coisas proibidas. E a realidade não é essa. A vida é muito gostosa exatamente pelo fato de possuir uma infinidade de coisas boas que podem e devem ser feitas. Essa é uma possibilidade de ação dos pais que não pode ser perdida e encontra-se no Marco Pedagógico. Este compreende toda a ação que aplicam sobre a criança para que esta consiga êxito em sua vida. Preparam o caminho para o desenvolvimento de suas potencialidades. Isso acontece, dentre outros meios, pela comunicação verbal e não verbal.

Podemos achar que isso é algo muito fácil, uma vez que conversamos e estamos em contato com as pessoas e com nossos filhos o tempo todo. Porém, na verdade não é assim. Na verdade, saber comunicar da maneira correta, na medida correta é uma arte. E no quesito educação dos filhos, os pais necessitam esmerar-se nessa arte que supõe entrega.

A comunicação requer um cuidado especial, exige de cada um esquecer-se de si próprio para sair ao encontro da outra pessoa, de seus interesses e necessidades.”

Os gestos,  a expressão facial, a atitude corporal, o lugar escolhido para comunicar-se, a proximidade ou distância  física, inclusive  a hora, podem influenciar no êxito ou fracasso de uma comunicação. O saber escolher,  o cuidar as formas, são aspectos fundamentais para obter um bom resultado.

Quando mostramos a realidade sempre destacando seu aspecto negativo, não estamos educando. Frases terminantes e categóricas não educam. “Não faça isso! É assim porque eu mandei!”, é uma maneira de resolver a situação. Mas não de educar. Dessa forma os pais são autoritários e a criança não tem a chance de compreender tudo o que está em jogo. Por exemplo, esse tipo de situação pode ocorrer com muita facilidade quando o assunto é ordem. A mãe e o pai desejam uma casa (um pouco) mais organizada, mas a forma com que comunicam isso passa apenas algo arbitrário ou mania “Quero que fique aqui e pronto”. (Sobre a Educação da Virtude da Ordem você pode ler um pouco mais aqui). Porém, do contrário, quando os pais estão dispostos a comunicar de maneira verdadeira e profunda, usam de frases pausadas e mostram o outro lado daquela situação. Dessa maneira ganham prestígio e autoridade. Além de melhorarem a qualidade da comunicação, preparam o caminho para educar seus filhos para a liberdade, pois eles terão melhores condições de avaliar diferentes lados da mesma situação e escolher dentre eles.

Lembre-se! Limitar-se a dizer “não toque”, “não vá”, “não faça”, transmite medo, insegurança e superproteção.

Não posso mais dizer ‘não’? Não é bem assim. Educar de maneira positiva não é abandonar a firmeza necessária de diversas situações. Com certeza existem momentos nos quais precisamos dizer não. Pelo bem da criança. Porém, nossa atuação de pais deve ser CONSCIENTE. Ligar o piloto automático e responder sem refletir, apenas para evitar danos atuais nunca será o posicionamento adequado de pais que se preocupam com o desenvolvimento integral de seus filhos. Continuaremos esta reflexão no próximo texto: “Educar de maneira positiva. – Parte 2”. Não deixe de ler!

Até mais!

Cibele Scandelari

2 comentários em “Educar de maneira positiva – Parte 1”

    1. Como é bom ajudar, Amanda! Tudo dará certo! Nossa jornada como mães não é “só” sobre educar os filhos, também é sobre melhorarmos como pessoas. Cada dia um pouquinho. Pedirei por você também!Peça por mim!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s