0-4 Anos, FAQ, Homeschooling

Intenção educativa com crianças de menos de 4 anos

Dando continuação ao tema “homeschooling com crianças pequenas”, acredito ser importante que nós, pais e mães educadores (apesar de crer que essa reflexão também valha para famílias escolarizadas), precisamos encontrar a justa medida para nossas ações parentais. Especificamente neste texto, refiro-me a compreendermos que crianças pequenas precisam de estímulos, mas que estes não precisam ser um bombardeio profissional e , por outro lado, não podemos achar que já que um lar acolhedor apresenta-se como a base do desenvolvimento de uma infância saudável, estaríamos livres de prover outras coisas para o bom desenvolvimento integral da criança. É  necessário uma auto avaliação honesta, sem extremismos e um empenho em educar o nosso olhar para a realidade que cerca a criança e desenvolver a intenção de educar sem perder o frescor que a infância tem.

É natural que, ao tomar para si a responsabilidade da educação formal dos filhos, pais escolarizados (que sempre frequentaram a escola) entendam a prática tendo esta instituição como modelo. Frequentemente pensarão  “mas ele estaria fazendo X coisas na escola…eu não estou dando aquela atividade…ele não teria tanto tempo livre assim…”, etc. Apesar de ser um caminho normal da compreensão dos acontecimentos, afirmo com tranquilidade que esse peso não precisa estar sobre os ombros de pais de crianças pequenas se estes pais estão empenhados em fornecer um ambiente amoroso, culturalmente estimulante, equilibrado, com espaço de tempo e lugar para brincar. Se você quer saber um pouco mais sobre desescolarização, encontrará um pouco sobre o assunto NESTE texto.

Historicamente, crianças pequenas nunca foram para a escola. Isso começou a acontecer com a entrada da mulher no mercado de trabalho, principalmente. Essa demanda fez surgir incontáveis “necessidades pedagógicas” e o que antes era aprendido entre a roupa do varal e o café da tarde, agora é colocado dentro do planejamento minucioso e supervisionado.

A intenção educativa pode ser entendida como essa disposição interna dos pais em observar o filho de maneira integral e tanto aproveitar quanto fornecer situações nas quais a criança descubra o deslumbramento pela vida de maneira prática, por meio de perguntas,  de uma escuta interessada, da vivência com os outros, etc. Dessa maneira vamos compreendendo que a aprendizagem acontece o tempo todo e a qualidade e profundidade vai depender, também, da maneira como os adultos encaram a vida. 

O que crianças pequenas devem aprender? Devem aprender a conhecer a suas possibilidades físicas, a relacionar-se consigo mesmas e com os demais, a transcender de si, a desenvolver a vontade para se fazer o que é certo e, por fim, aprender os demais quesitos intelectuais. Seriam 5 dimensões, que abrangem uma educação integral e pessoal (pessoal porque diz respeito àquele serzinho específico): dimensão intelectual, sócio-afetiva, transcendente, física e volitiva (esta última diz respeito à educação da vontade).

Crianças pequenas devem aprender a brincar e a colocar os brinquedos no lugar após a brincadeira, gradativamente a aprender a vestir-se e despir-se (a conquista da autonomia é algo de imensa importância). Devem ter contato com a natureza e, aos poucos familiarizar-se com a observação dos detalhes presentes nas coisas que as rodeiam. Devem ser encorajadas a comunicar suas vontades por meio da fala, cada vez mais elaborada e deixar para trás os balbucios e linguajar infantilizado. Necessitam ser impelidas a dominar suas capacidades físicas em ambientes seguros. Joelhos ralados são marcas necessárias da infância e não matam ninguém. Ao conversar com os filhos os pais devem usar as palavras corretas para cada coisa. Dessa maneira, conceitos de formas,  cores, dimensões, grandezas, etc, são passados de maneira natural, no cotidiano e, então, algum registro pode ser feito. Mas essa folha de atividade deve representar isso: o registro. A aprendizagem se deu de maneira rica no cotidiano.

Pais de crianças pequenas devem, sem sombra de dúvida se preocupar em desenvolver os hábitos básicos em seus filhos. Isso garantirá, inclusive, a gradativa conquista da paz no ambiente familiar. Falo um pouco sobre esse tema no texto “Tem filhos pequenos? Foque nos hábitos básicos!

Quando nos empenhamos em desenvolver essa intenção de educar em cada momento do dia,  aos poucos vai se tornando algo mais natural. Ao subir as escadas podemos contar junto com a criança e estaremos trabalhando a sequência numérica e a correspondência 1 a 1. Ao cantar cantigas de roda enquanto arrumamos a cama estamos trabalhando cultura popular, rimas, altura, ritmo, etc.  Quando a criança encontrar uma joaninha podemos conversar sobre os insetos e mostrar muitas figuras numa breve pesquisada pela internet. Essas são as oportunidades que nos caem no colo, e são lindas. Paralelamente a isso podemos sugerir o que, após observação, achamos que pode ser melhorado, ou conhecido: um momento específico para sentar no tapete e ler uma história, brincar com massinha, desenhar na calçada com giz de quadro, etc.

Se estamos pendentes dos filhos e queremos desenvolver essa intenção de educar, nossa atenção estará voltada para isso e se  desenvolverá.

Tendo isso muito claro, podemos pensar para o próximo texto, numa lista de aspectos a serem observados e desenvolvidos em cada dimensão.

Um abraço!!

Cibele Scandelari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s