Áreas do Conhecimento, Homeschooling, Materiais

SAXON MATH

Homeschooling traz uma sensação maravilhosa de liberdade. Mas como tudo nesta vida é uma troca, junto dessa liberdade vem somada uma carga de grande responsabilidade. Ao pensar por este ângulo, sob a perspectiva da escolha de materiais é possível que nos encontremos um pouco (ou muito) perdidos. Para qual lado seguir? Qual material adotar? É necessário lembrar que o material didático escolhido não faz sozinho seu trabalho. Mesmo tendo escolhido o melhor guia do mundo, os pais ainda sim terão o trabalho de acompanhar. No entanto, quanta tranquilidade ao saber que o livro adotado é de confiança, a abordagem é honesta e inteligente, permite que o educando encontre maneiras interessantes de compreender o assunto.

Quando eu estava escolhendo qual caminho adotar para matemática, uma coisa eu tinha muito clara: queria algo diferente da abordagem nacional. Queria algo projetado para ir com calma, evitando lacunas, dando oportunidade para que o conhecimento fosse sedimentado. Com medo da disciplina bastava eu! Por isso, escolhi o material indicado pela Susan Wise Bauer no livro The Well Trained Mind: Saxon Math.

Este material pode ser entendido como um currículo da disciplina, do primeiro ano do ensino fundamental  até os últimos do Ensino Médio, se compararmos com os anos do sistema escolar.

A metodologia aplicada está baseada numa abordagem de revisões constantes. Ensina-se um novo conceito matemático todos os dias, mas o mesmo só é feito após as revisões de conceitos anteriores. Sendo assim a criança revê questões já aprendidas e resolve problemas com as mesmas, de forma cumulativa e tem a oportunidade de resolver um problema com o conceito recém trabalhado. 

A repetição dos conceitos é algo muito presente na abordagem da Saxon.  O resultado é que a criança passa a ver aquele conteúdo como algo “seu” e não algo a ser aprendido. Quando está a compreender um conceito, faz-se necessário, dependendo da idade da criança, a utilização de materiais manipuláveis, como moedas.  Com o passar do tempo, quando a criança compreendeu o conceito, a repetição entra no jogo como forma de trabalhar a memória e sedimentar a resposta, uma vez que, se for necessário, ela já sabe refazer o caminho.

Neste sentido, em todas as tarefas faz-se uma “reunião”. Nela é solicitado que a criança responda, diariamente, uma série de  questionamentos: “Quantos dias tem uma semana? E duas semanas? E três? …”. “Conte de 25 em 25 do 225 ao 450”. Nesse momento acriança também é convidada a entrar em contato com o sistema monetário e, todos os dias realiza pequenas contas com moedas. As horas também são trabalhadas diariamente, bom como outras questões.

Num primeiro momento, levando em consideração que a forma de se ensinar matemática no Brasil, é bem diferente, minha impressão foi de que as perguntas eram “bobas”, muito repetitivas. No entanto, por causa dessa repetição,  agora minha filha começa a compreender novos conceito de maneira mais tranquila. Ainda luto com a vontade de “passar por cima” de algumas revisões. Mas já compreendi seu valor e tenho dado mais atenção.

O material da Grade 2 e 3 é composto por 1 livro do professor, 2 do aluno, 1 Meeting Book e fichas de soma, subtração, divisão e multiplicação. Numa primeira olhada, o livro do professor chega a gelar a alma. É um calhamaço de muuuitas páginas. Lembro de sentir o frio na espinha quando a encomenda chegou e eu o vi. Porém, quando compreendi que, literalmente, todas as minhas falas, do ano todo, para aquela disciplina, bem como qual material extra usar, já estavam planejadas, só faltou dormir abraçada com o livro.

Os livros do aluno são as atividades destacáveis de cada Lesson. Lado A e lado B. O conselho é trabalhar o A de manhã e o B de tarde para fixar. Confesso que faço tudo na mesma hora. Algumas vezes apenas um lado só.

Até o momento temos colhido bons frutos com o uso desse material. No entanto é necessário destacar que, ao menos nos primeiros 2 ou 3 anos, o trabalho com ele é mais longo. Não existe, até o momento, edição brasileira, então um pouco de conhecimento de inglês é necessário. A criança, principalmente se não souber inglês, necessitará de acompanhamento. Para muitas tarefas, será necessário investir pelo menos 40 minutos. Outras vezes a aula será bem mais rápida. Conheço famílias que não se adaptaram e preferiram adotar, por exemplo, a assinatura do IXL ou continuar a trabalhar com a Khan Academy, que são sites educativos. O primeiro é pago, o segundo, gratuito.  Fica a dica de mais meios disponíveis para o ensino da Matemática.

Se você quer conhecer o material por dentro, confira este vídeo (super caseiro) que fiz com a intenção de ajudar quem está para decidir qual material usar: “SAXON: conheça o material por dentro”. Espero que ajude!

 

 

Cibele Scandelari

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s